Casa Mundo Putin ameaça armar inimigos de países ocidentais que dão apoio militar à Ucrânia | CNN Brasil

Putin ameaça armar inimigos de países ocidentais que dão apoio militar à Ucrânia | CNN Brasil

por salvadoroliveira
9 visualizações
putin-ameaca-armar-inimigos-de-paises-ocidentais-que-dao-apoio-militar-a-ucrania-|-cnn-brasil

O presidente russo, Vladimir Putin, alertou os países ocidentais que estão tomando um “passo muito sério e perigoso” ao fornecer armas à Ucrânia, o que poderia resultar em Moscou dando ajuda militar aos inimigos dessas nações.

A Ucrânia tem dependido fortemente de armas fornecidas pelos aliados ocidentais para derrotar as forças russas desde que a invasão em grande escala de Putin começou, há mais de dois anos. E na semana passada, o presidente dos EUA, Joe Biden, deu pela primeira vez permissão a Kiev para usar munições americanas para realizar ataques limitados dentro do território russo, depois de vários países europeus terem removido as restrições sobre a forma como as armas que fornecem podem ser usadas.

“Fornecer armas a uma zona de conflito é sempre uma coisa má”, disse Putin aos editores de agências de notícias internacionais à margem do fórum econômico anual em São Petersburgo, na quarta-feira (5). “Especialmente se isso estiver ligado ao fato de que aqueles que as fornecem não estão apenas entregando armas, mas também manuseando elas”.

Putin também alertou que a Rússia poderia retaliar se os países ocidentais fossem considerados diretamente envolvidos no conflito na Ucrânia.

“No final, se virmos que estes países se envolvem numa guerra contra nós, o que estão a fazer torna-os diretamente envolvidos numa guerra contra a Federação Russa, temos o direito de agir da mesma forma”, disse ele. “No geral, isso leva a alguns problemas sérios”.

E levantou a perspectiva de uma ação retaliatória, perguntando qual a razão de a Rússia “não ter o direito de fornecer as nossas armas da mesma classe às regiões do mundo onde haverá ataques às instalações sensíveis dos países que estão fazendo isto contra a Rússia?”.

Os militares ucranianos começaram a usar sistemas de foguetes HIMARS fornecidos pelos EUA para atingir sistemas de defesa aérea russos, depósitos de armas e outros alvos militares em território russo, disse um membro do Parlamento ucraniano à CNN na quarta-feira (5).

Yehor Cherniev, vice-presidente da Comissão de Segurança Nacional, Defesa e Inteligência do Parlamento Ucraniano, disse que as armas americanas lhes permitiram “reduzir significativamente o bombardeamento de Kharkiv por mísseis russos S-300”.

Em seus comentários na quarta-feira, Putin disse que a Rússia melhoraria os sistemas de defesa aérea para destruir mísseis que chegassem.

Ele também destacou Berlim para críticas, após comentários na semana passada dos líderes da França e da Alemanha de que a Ucrânia deveria ser autorizada a usar as suas armas contra alvos dentro da Rússia, a partir dos quais Moscou ataca a Ucrânia.

O aparecimento de tanques alemães na Ucrânia resultou num “choque ético” na Rússia, onde a atitude em relação à Alemanha tinha sido anteriormente “muito boa”, disse Putin.

“Agora, quando dizem que aparecerão mais alguns mísseis que atingirão alvos em território russo, isso, é claro, está, em última análise, destruindo as relações russo-alemãs”, acrescentou.

Falando ao lado do presidente francês, Emmanuel Macron, em 28 de maio, o chanceler alemão, Olaf Scholz, disse que a Ucrânia estava autorizada a defender-se, desde que respeitasse as condições dadas pelos países que forneceram as armas – incluindo os Estados Unidos – e o direito internacional.

“A Ucrânia tem todas as possibilidades, ao abrigo do direito internacional, para o que está fazendo. Isso tem que ser dito explicitamente”, disse Scholz. “Acho estranho quando algumas pessoas argumentam que não deveria ser permitido que se defendesse e tomasse medidas adequadas para isso.”

A Ucrânia apelou durante meses a Washington para que lhe permitisse atacar alvos em solo russo com armas dos EUA, enquanto Moscovo lançava um brutal ataque aéreo e terrestre a Kharkiv, sabendo que as suas tropas poderiam recuar para solo russo para se reagruparem e que os seus depósitos de armas não poderiam ser destruídos com armas ocidentais.

Os EUA mantêm-se firmes em não permitir que a Ucrânia utilize a munição mais formidável que lhe foi dada para disparar contra a Rússia: os mísseis de longo alcance conhecidos como ATACMS, que podem atingir alvos a 300 quilômetros de distância.

Em vez disso, a Ucrânia só pode utilizar mísseis de curto alcance conhecidos como GMLRS, que têm um alcance de cerca de 70 quilômetros.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

inglês

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

CONTATOS

noticias recentes

as mais lidas

Jornal de Minas © Todos direitos reservados à Tv Betim Ltda®