Casa Mundo Presidente da Comissão Europeia busca aliados após conquistas da extrema direita | CNN Brasil

Presidente da Comissão Europeia busca aliados após conquistas da extrema direita | CNN Brasil

por marianacatacci
4 visualizações
presidente-da-comissao-europeia-busca-aliados-apos-conquistas-da-extrema-direita-|-cnn-brasil

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, começou a tentar formar uma coalizão na segunda-feira (10), depois que a extrema direita obteve ganhos em uma eleição para o Parlamento Europeu, estimulando o presidente francês Emmanuel Macron a convocar uma votação nacional antecipada.

Uma mudança para a direita dentro do Parlamento Europeu pode dificultar a aprovação de novas leis para responder aos desafios de segurança, ao impacto das mudanças climáticas ou à concorrência industrial da China e dos Estados Unidos.

Von der Leyen, a presidente alemã do poderoso órgão executivo da União Europeia, saiu fortalecida da eleição de quatro dias em 27 países, que terminou no domingo (9), quando seu Partido Popular Europeu (PPE), de centro-direita, ganhou assentos.

Mas para garantir um segundo mandato de cinco anos, von der Leyen precisa do apoio da maioria dos líderes nacionais da UE e de uma maioria de trabalho no Parlamento Europeu.

Os resultados provisórios de segunda-feira deram aos principais partidos que apoiaram von der Leyen da última vez – o PPE, os socialistas e os liberais – um total de 402 assentos na câmara de 720 membros.

Mas esse número é amplamente considerado em Bruxelas como uma maioria muito apertada. Portanto, von der Leyen também pode entrar em contato com os Verdes, que sofreram grandes perdas, e com a primeira-ministra nacionalista da Itália, Giorgia Meloni, com quem ela tem trabalhado em estreita colaboração.

No final da noite de domingo, von der Leyen disse que começaria tentando reconstruir a base parlamentar de seu último mandato.

“Tenho trabalhado para construir uma ampla maioria de forças pró-europeias. E é por isso que, a partir de amanhã, entraremos em contato com as grandes famílias políticas com as quais formamos a plataforma”, afirmou ela aos repórteres em Bruxelas.

Von der Leyen indicou que conversaria com outras pessoas após essas consultas iniciais, mantendo suas opções em aberto.

Ela disse que pretende trabalhar com aqueles que são “pró-europeus, pró-Ucrânia e pró-estado de direito” – uma descrição que ela deixou claro que acha que se aplica ao Irmãos de Itália, de Meloni, mas não a alguns outros partidos de extrema direita.

No entanto, socialistas, liberais e os verdes já declararam que não trabalharão com a extrema direita, o que torna extremamente delicados os esforços de von der Leyen para a formação de coalizões.

Meloni também manteve suas opções em aberto nesta segunda-feira, dizendo que era muito cedo para decidir sobre um segundo mandato para von der Leyen.

Os partidos nacionalistas, populistas e céticos em relação à UE estão em vias de conquistar cerca de um quarto dos assentos na assembleia da UE.

Analistas políticos atribuem a mudança geral para a direita ao aumento do custo de vida, às preocupações com a imigração e ao custo da transição verde, bem como à guerra na Ucrânia – preocupações que os partidos nacionalistas e populistas aproveitaram.

No entanto, a influência exata que esses partidos exercerão dependerá de sua capacidade de superar as diferenças. Atualmente, eles estão divididos entre duas famílias políticas e, por enquanto, alguns partidos e parlamentares estão fora desses agrupamentos.

Os resultados provisórios mostraram que o PPE conquistou 185 cadeiras, os socialistas 137 e os liberais 80.

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Somos um dos maiores portais de noticias de toda nossa região, estamos focados em levar as melhores noticias até você, para que fique sempre atualizado com os acontecimentos do momento.

CONTATOS

noticias recentes

as mais lidas

Jornal de Minas © Todos direitos reservados à Tv Betim Ltda®