Home Mundo Polícia israelense prende parentes de reféns durante protesto em Tel Aviv | CNN Brasil

Polícia israelense prende parentes de reféns durante protesto em Tel Aviv | CNN Brasil

por marianacatacci
0 Comente
policia-israelense-prende-parentes-de-refens-durante-protesto-em-tel-aviv-|-cnn-brasil

Dois parentes de reféns israelenses sequestrados em 7 de outubro foram presos durante um protesto em frente à sede do Ministério da Defesa em Tel Aviv na noite de terça-feira (26), segundo um dos grupos que participaram.

Shahar Mor confirmou à CNN na quarta-feira (27) que foi preso ao lado de seu primo, Barak Ben Ezra. Ambos os homens são parentes de Avraham Munder, que ainda está detido em Gaza. Os seus primos, Ohad Munder, Ruth Munder e Keren Munder, foram todos libertados pelo Hamas no ano passado.

Os dois homens foram libertados após menos de três horas de detenção, disseram. Numa declaração conjunta, Mor e Ezra agradeceram à polícia israelense por “nos libertar tão rapidamente” e disseram que pretendem “continuar a nossa luta”.

Os manifestantes reuniram-se para expressar a sua raiva após relatos da mídia de que uma delegação israelense que mantinha negociações indiretas de reféns com o Hamas estava deixando as negociações no Catar sem acordo.

A polícia israelense disse em um comunicado que liberou os manifestantes da rodovia Ayalon, em Tel Aviv, onde bloqueavam o tráfego. Quatro manifestantes foram presos por violar a ordem e “colocar em perigo os usuários da estrada”, disse a polícia.

Um representante do Movimento de Protesto Pró-Democracia Israelense que esteve envolvido nas manifestações disse numa atualização que dois dos quatro presos eram parentes de reféns. Kan, afiliada da CNN, também relatou as prisões, dizendo que os dois eram parentes de um refém que foi libertado e outro que ainda estaria detido em Gaza.

O ataque do Hamas em 7 de outubro matou cerca de 1.200 israelitas, com mais de 250 pessoas levadas para Gaza como reféns. Israel acredita que 96 pessoas ainda estão detidas no enclave, juntamente com os corpos de 34 reféns mortos.

A guerra de retaliação de Israel contra o Hamas matou mais de 32 mil pessoas em Gaza, segundo o ministério da saúde local.

Vários grupos têm realizado protestos antigovernamentais em frente à sede do Ministério da Defesa, conhecido como Kirya, desde os ataques do Hamas. A CNN entrou em contato com o Fórum de Famílias de Reféns, que representa as famílias dos cativos e realizou protestos no local.

A Rodovia Ayalon, uma importante rodovia, foi reaberta ao tráfego no final do dia, depois que a polícia libertou os manifestantes.

O vídeo dos protestos mostrou parentes de reféns presos em jaulas, gritando slogans como: “Tempo esgotado, volte para o Catar!”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

inglês

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

A Tv Betim, em sintonia com a Rádio Betim e o Jornal de Minas, forma uma rede dinâmica que vai muito além dos limites convencionais da comunicação. Nossa proposta é clara: estabelecer diretrizes para Conteúdo e Programação, guiando a inclusão e priorizando parcerias estratégicas. Estamos comprometidos com a produção e coprodução de conteúdos digitais, adaptando-nos continuamente às diversas multiplataformas.

– Não somos apenas um meio de comunicação e informação; somos um novo canal que oferece soluções e produtos múltiplos, conectando e divulgando seus produtos e serviços a nível nacional, através do canal Web e outras plataformas.

Nossa estratégia vai além da simples transmissão. Focamos na ascensão social, proporcionando oportunidades excepcionais de novos negócios, relacionamentos sólidos e lucros substanciais para aqueles que investem no mercado mais cobiçado por grandes marcas. O potencial de consumo é imenso, e estamos aqui para guiar você nesse caminho de possibilidades.

– Na Tv Betim, acreditamos que a comunicação vai além do diálogo; é uma ponte para o crescimento, inovação e sucesso. Junte-se a nós nessa jornada de conexão, onde o seu impacto é a nossa prioridade.

noticias recentes

as mais lidas

JM – Jornal de Minas© Todos direitos reservados.