Home Mundo O que sabemos sobre o plano de retirada de civis de Rafah | CNN Brasil

O que sabemos sobre o plano de retirada de civis de Rafah | CNN Brasil

por Luciana Caczan
0 Comente
o-que-sabemos-sobre-o-plano-de-retirada-de-civis-de-rafah-|-cnn-brasil

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, instruiu os militares a planejarem a retirada de mais de 1,3 milhão de pessoas que as Nações Unidas estimam estar na cidade de Rafah, no sul de Gaza, disse seu gabinete na sexta-feira (9).

No comunicado, o gabinete afirmou que não era possível eliminar o Hamas e deixar “quatro batalhões do Hamas em Rafah”.

Aqui está o que você precisa saber sobre este e outros desdobramentos da guerra Israel-Hamas:

Para onde irãos os civis?

Rafah é o último grande centro populacional em Gaza não ocupado pelas Forças de Defesa de Israel (FDI) e rapidamente se tornou o lar de uma enorme população de palestinos deslocados. Imagens de satélite mostraram esta semana como uma cidade de tendas aumentou de tamanho em apenas alguns dias.

A CNN também noticiou anteriormente que civis palestinos que seguiram ordens de retirada foram mortos por ataques israelenses, destacando a realidade de que as zonas de retirada e os alertas dos militares israelenses não garantiram a segurança dos civis na Faixa de Gaza, local densamente populado, onde os palestinos não têm um local seguro para escapar das bombas de Israel.

Estados Unidos se manifestam sobre o caso

“Conduzir tal operação agora sem planejamento e pouca reflexão em uma área onde um milhão de pessoas estão abrigadas seria um desastre”, disse o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Vedant Patel, em entrevista coletiva na quinta-feira (8). Além disso, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, levantou preocupações sobre a operação em Rafah durante reuniões com Netanyahu e outras autoridades israelenses esta semana, disseram fontes israelenses à CNN na quarta-feira (7).

Alertas das Organizações Não Governamentais

Várias organizações não governamentais alertaram sobre as consequências humanitárias das operações israelenses em Rafah. Por exemplo, o Conselho Norueguês para os Refugiados (CNR) disse que a cidade, que faz fronteira com o Egito, poderá em breve transformar-se “em uma zona de derramamento de sangue e destruição da qual as pessoas não conseguirão escapar”.

A frustração das famílias dos reféns

Sem uma definição para um novo acordo para o retorno dos reféns israelenses de Gaza, muitos, incluindo as famílias dos reféns ainda detidos pelo Hamas, dirigiram a sua raiva contra Netanyahu, que rejeitou os termos de um cessar-fogo e de um acordo de reféns apresentados pelo Hamas.

Metade dos pedidos da Agência da ONU em Gaza foi negado

A principal agência de ajuda humanitária da ONU em Gaza disse, na sexta-feira (9), que metade dos pedidos de sua missão de ajuda para entregar ajuda em Gaza desde o início do ano foi negado. A Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras aos Refugiados da Palestina (UNRWA) não consegue entregar ajuda em Gaza desde 23 de janeiro, disse o comissário-geral da agência, Philippe Lazzarini, no X, acrescentando que as pessoas no território estão à beira da fome.

Mais da metade de todas as estruturas em Gaza foi danificada

A análise de satélite feita por pesquisadores do CUNY Graduate Center e da Oregon State University sugere que entre 53% e 65% de todas as estruturas da Faixa foram danificadas em 2 de fevereiro.

Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Estamos em construção…

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

JM – Jornal de Minas© Todos direitos reservados.