Home Mundo Com Bukele buscando novo mandato, El Salvador escolhe presidente neste domingo (4): veja o que está em jogo | CNN Brasil

Com Bukele buscando novo mandato, El Salvador escolhe presidente neste domingo (4): veja o que está em jogo | CNN Brasil

por gabrielbosa
0 Comente
com-bukele-buscando-novo-mandato,-el-salvador-escolhe-presidente-neste-domingo-(4):-veja-o-que-esta-em-jogo-|-cnn-brasil

Neste domingo (4), pouco mais de 6 milhões de salvadorenhos são chamados às urnas para eleger o próximo presidente, o vice-presidente e os 60 deputados que comporão a Assembleia Legislativa.

Nayib Bukele, atual presidente — com autorização da Assembleia Legislativa para participar da campanha eleitoral — procura um segundo mandato de cinco anos.

Se vencer, como indicam pesquisas, como a de Cid Gallup ou a do Instituto de Opinião Pública, da Universidade Centro-Americana, será o primeiro a repetir a posição na história recente de El Salvador, apesar de que alguns setores acadêmicos e de juristas consideram que a Constituição proíbe a reeleição imediata.

O vice-presidente, Félix Ulloa — também com autorização dos deputados para participar do pleito — buscará, junto com Bukele, continuar liderando o Executivo.

Na disputa, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, há outros cinco candidatos para governar o país entre 1º de junho de 2024 a 1º de junho de 2029.

Para vencer no primeiro turno o candidato deverá obter 50% mais um dos votos válidos. Caso ninguém obtenha esse percentual, o Tribunal Superior Eleitoral deverá organizar o segundo turno com os dois candidatos mais votados.

Manuel Flores

Ele aspira ser presidente de El Salvador sob a bandeira do partido Farabundo Martí Frente de Libertação Nacional (FMLN). Flores é biólogo e fundador do partido de esquerda. Foi prefeito de Quezaltepeque de 2003 a 2012, e nos nove anos seguintes atuou como deputado da Assembleia Legislativa.

Joel Sanches

É o candidato presidencial do partido da Aliança Republicana Nacionalista (Arena). Emigrou para os Estados Unidos aos 19 anos devido ao clima de instabilidade política e à guerra civil em El Salvador. É bacharel em Administração de Empresas pela Keiser University, em Fort Lauderdale, Flórida. Não tem carreira política.

José Renderos

É obstetra e concorre com o partido Fuerza Solidaria. Em 2018 foi candidato a prefeito de San Miguel pela Arena.

Luis Parada

Candidato do partido Nuestro Tiempo. É advogado e especialista em contencioso internacional e arbitragem. Ele obteve o bacharelado em Segurança Nacional pela Academia Militar de West Point e o mestrado em Governo pela Universidade de Georgetown.

Marina Murillo

É arquiteta e busca chegar à presidência sob a bandeira do partido Fraternidade Patriótica Salvadorenha.

Eleitores no exterior

De acordo com os autos do Tribunal Supremo Eleitoral, 741.094 salvadorenhos que residem no exterior e cujo documento de identidade contém o endereço do país em que residem começaram a votar de 5 de janeiro a 4 de fevereiro de forma online, modalidade implementada pela primeira vez.

Enquanto isso, os salvadorenhos no exterior cujo documento contenha o endereço onde moravam em El Salvador poderão votar, pessoalmente, no dia 4 de fevereiro nos centros de votação que serão instalados em diversos países.

Controle da Assembleia Legislativa

A votação definirá também a composição da Assembleia Legislativa, atualmente controlada pelo Nuevas Ideas, partido do presidente Bukele.

A Assembleia será composta, a partir de 1º de maio, por 60 deputados. Atualmente são 84, mas uma reforma aprovada em junho de 2023 reduziu o número, a pedido do presidente Bukele.

Esta reforma também incluiu uma mudança no sistema de atribuição de assentos. Desta forma, o número de votos emitidos em cada um dos 14 departamentos será dividido pelo número de deputados a eleger por departamento.

Alguns analistas alertam que esta forma de designar deputados favorecerá o partido no poder, que tem maioria qualificada.

Isto permitiu a sigla no primeiro dia de funções, 1º de maio de 2021, destituir os juízes da Câmara Constitucional do Supremo Tribunal de Justiça e nessa mesma sessão exonerar o procurador-geral das suas funções.

Deputados oficiais e partidos aliados aprovaram as iniciativas solicitadas pelo presidente, incluindo o regime de emergência e suas 22 prorrogações. A última, em 10 de janeiro.

A medida foi aprovada a pedido do Executivo em resposta ao aumento da violência que num único dia de março de 2022 deixou 62 mortos. Desde essa data, até agora, as autoridades reportam a detenção de mais de 75 mil pessoas.

O governo atribui a redução da violência ao regime, mas grupos que trabalham a favor dos direitos humanos e organizações internacionais, como a Anistia Internacional, afirmam que a medida abriu brecha para capturas arbitrárias e tratamentos degradantes dentro das prisões.

Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

espanhol

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Estamos em construção…

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

JM – Jornal de Minas© Todos direitos reservados.