Home Mundo Análise: Biden tenta acabar com preocupações sobre sua idade, mas pode tê-las aumentado | CNN Brasil

Análise: Biden tenta acabar com preocupações sobre sua idade, mas pode tê-las aumentado | CNN Brasil

por Leo Lopes
0 Comente
analise:-biden-tenta-acabar-com-preocupacoes-sobre-sua-idade,-mas-pode-te-las-aumentado-|-cnn-brasil

Uma investigação que poupou o presidente Joe Biden de acusações criminais por reter documentos confidenciais, paradoxalmente, o desferiu um golpe político ameaçador.

O relatório do procurador especial Robert Hur divulgado na quinta-feira sobre o modo que Biden tratou esses documentos efetivamente encerrou o assunto.

Mas as suas afirmações de que Biden é um homem idoso com a memória “significativamente limitada” desencadearam uma tempestade política que atingiu diretamente o cerne da principal vulnerabilidade do presidente nas eleições de 2024.

A Casa Branca sabia que tinha um enorme problema político em mãos.

Depois de horas de alegações republicanas de que o relatório mostrava que ele não era capaz de servir como presidente, Biden apareceu em uma entrevista coletiva agendada às pressas na noite de quinta-feira, aparentemente tentando virar a página do que se transformou em um dia desastroso.

“Eu sei o que diabos estou fazendo”, Biden se irritou na Sala Diplomática da Casa Branca, enquanto defendia suas faculdades mentais e se eriçava de raiva.

Biden também destacou que o relatório de Hur traçou distinções entre a forma como lidou com o material confidencial e a conduta supostamente criminosa e obstrutiva de Donald Trump sobre a mesma questão sobre a qual o ex-presidente enfrenta um julgamento criminal.

Biden parecia exaltado e passional. Mas, ao mesmo tempo, o seu comportamento irritado e um acontecimento que pareceu fugir rapidamente ao seu controle, com os repórteres gritando perguntas enquanto ele se esforçava para não ser interrompido, podem ter acabado aumentando as mesmas questões sobre a sua idade que ele pretendia dissipar.

Quando a repórter MJ Lee, da CNN, apontou que muitos eleitores têm dúvidas sobre sua idade, Biden apontou o dedo e disse veementemente: “Esse é a sua opinião”.

A coletiva também levantou novas questões sobre a sua aptidão mental numa semana em que confundiu duas vezes os nomes de um líder europeu em exercício com aqueles com quem ele conviveu na política da década de 1980.

A certa altura da sua aparição na noite desta quinta-feira, Biden referiu-se ao presidente do Egito num comentário sobre a crise do Oriente Médio, mas disse erradamente “o presidente do México”.

Este é o tipo de erro que qualquer político sobrecarregado pode cometer. E mesmo quando era muito mais jovem, Biden tinha a reputação de ser uma máquina de gafes e de deslizes verbais.

Mas no contexto da declaração de Biden de que a sua “memória está boa”, a sua responsabilidade política em relação à sua idade e o fato de ter acontecido durante um evento destinado a demonstrar vitalidade e memória precisa, foi um tropeço indesejável, para dizer o mínimo.

Um momento emocionante

Houve também um momento comovente em que a dor palpável veio à tona quando o presidente condenou Hur por sugerir que, em um depoimento, ele tinha dificuldade em lembrar a data da morte do seu querido filho Beau.

É difícil pensar em algo mais doloroso para Biden ler, já que ele continua profundamente afetado pela morte de seu filho por câncer no cérebro em 2015.

“Como diabos ele ousa levantar isso?”, Biden perguntou, antes de interromper a fala, aparentemente à beira das lágrimas.

No geral, Biden deixou a impressão de um presidente que se sente profundamente injustiçado, está ressentido com a forma como é coberto pela mídia e tratado pelos republicanos e ainda acredita profundamente que é a melhor opção para derrotar Trump em novembro – um oponente que ele vê como um anátema antidemocrático para tudo o que a América representa.

Presidente dos EUA, Joe Biden / 06/02/2024 REUTERS/Evelyn Hockstein

Os defensores do presidente ficam muitas vezes frustrados quando o debate político é dominado pela idade de Biden – em vez dos repetidos desafios de Trump ao Estado de direito.

Mas, ao mesmo tempo, a sua idade e perspicácia são realmente importantes para os eleitores e ele está sob crescente pressão para resolver esta questão e demonstrar a sua capacidade à medida que as eleições gerais se aproximam.

Claro, o provável adversário republicano de Biden é um homem de 77 anos, duas vezes acusado de impeachment, com um temperamento vulcânico, que enfrenta 91 acusações e tentou frustrar a democracia dos EUA há três anos.

Mas Biden é o presidente agora, e apesar do enquadramento preferido da sua campanha de que 2024 é uma comparação direta entre ele e Trump, ele será julgado pelo seu próprio histórico e capacidade para servir durante quatro anos completos – especialmente porque a vice-presidente Kamala Harris tem suas próprias perguntas a responder sobre sua experiência, popularidade e adequação para servir no Salão Oval.

Numa pesquisa da CNN publicada em novembro, apenas 25% dos americanos acreditavam que Biden tinha a resistência e a perspicácia para servir eficazmente, enquanto 53% disseram que Trump tinha.

Numa outra sondagem da CNN na semana passada, 46% dos democratas estavam preocupados com a idade de Biden.

Esta é uma questão delicada que não foi totalmente enfrentada nem pela Casa Branca nem pela campanha de Biden e é frequentemente minimizada pelos democratas de uma forma que não reflete totalmente a profundidade do sentimento sobre ela na nação como um todo.

O fato de Biden ter feito os seus comentários na noite de quinta-feira mostra que a sua equipe reconhece agora que o presidente tem uma responsabilidade significativa nesta área, mas o seu desempenho também sugere que ele ainda não descobriu completamente como deixar os eleitores à vontade.

Um problema doloroso

A idade e a questão da diminuição da aptidão mental à medida que uma pessoa entra nos seus últimos anos é profundamente dolorosa e sensível.

É algo com que muitas famílias têm de lutar e, portanto, compreender intuitivamente, um fator que pode refletir-se na opinião pública sobre o assunto no que se refere às eleições.

Presidente dos EUA, Joe Biden, discursa durante evento de campanha
Presidente dos EUA, Joe Biden, discursa durante evento de campanha em Manassas, no Estado norte-americano da Virginia / 23/01/2024 REUTERS/Evelyn Hockstein

Muitos dos ataques a Biden por parte dos republicanos certamente cheiram a etarismo e parecem cruéis. No entanto, como Biden sabe, a política é um assunto pessoal e desagradável.

Como forma de mitigar, ele manteve um cronograma rigoroso de campanha nas últimas semanas, viajando de costa a costa e, no ano passado, realizou várias viagens cansativas ao exterior que teriam cansado um homem muito mais jovem.

Mas as pressões da presidência são implacáveis ​​e oferecem pouco tempo para um verdadeiro alívio mental.

Isto é destacado pelo fato de Biden estar, por exemplo, lidando com duas guerras, na Ucrânia e em Gaza, que ameaçam constantemente sair do controle e envolver o mundo num conflito muito mais amplo.

Os apoiadores de Biden também podem argumentar que ele está sendo injustamente comparado a Trump.

O ex-presidente – apesar de algumas gafes flagrantes recentes – notavelmente confundindo sua rival republicana Nikki Haley com a ex-presidente da Câmara, Nancy Pelosi – não teve o mesmo escrutínio sobre a idade, embora já esteja quase na casa dos 80 anos.

Os comentários muitas vezes absurdos, as gafes verbais e o comportamento frequentemente desequilibrado de Trump são frequentemente citados pelos democratas e levantam questões sobre a sua idade e capacidade.

Mas a energia maníaca de Trump tende a atenuar essas questões entre os seus apoiadores, embora existam, sem dúvida, grandes sinais de alerta sobre a sua aptidão para o cargo, levantadas pelos seus julgamentos criminais iminentes e pelas suas tendências abertamente autocráticas e promessas de usar um segundo mandato para decretar “retribuição” pessoal contra seus inimigos políticos.

Pré-candidato republicano e ex-presidente dos EUA, Donald Trump, em comício a apoiadores depois de vencer as prévias republicanas em Nevada, em 8 de fevereiro de 2024.
Pré-candidato republicano e ex-presidente dos EUA, Donald Trump, em comício a apoiadores depois de vencer as prévias republicanas em Nevada, em 8 de fevereiro de 2024. / Mario Tama/Getty Images

O relatório de Hur repreendeu Biden por reter deliberadamente informações confidenciais, incluindo documentos ultrassecretos, depois que ele deixou a vice-presidência.

Mas ele disse que nenhuma acusação foi feita porque não havia provas suficientes de intenção para provar a culpa sem dúvida razoável.

Ele também fez uma distinção entre o manuseio de material confidencial por Biden depois que documentos foram encontrados em sua casa, sua garagem e em um escritório que ele usava e o acúmulo de material confidencial por Trump em seu resort em Mar-a-Lago.

Biden cooperou com a sua investigação, enquanto Trump teria feito o contrário, de acordo com uma acusação criminal que também o acusa de obstrução.

Os fatos mostram que existem enormes diferenças nos casos de Biden e Trump – mesmo que a nuance se torne confusa no calor de uma campanha, enquanto os líderes do Partido Republicano se queixam da duplicidade de critérios no sistema judicial.

Mas a verdadeira abertura do Partido Republicano ocorreu quando Hur sugeriu que Biden seria apresentado a um júri como um homem idoso solidário e bem-intencionado, “com memória fraca”.

Hur sugeriu que ele tinha lapsos de memória frequentes durante suas entrevistas com os investigadores, incluindo não conseguir se lembrar de quando Beau morreu ou exatamente quando Biden era vice-presidente.

Os advogados de Biden consideraram esses detalhes inapropriados. Os aliados de Biden sugeriram que, como Hur foi nomeado promotor distrital em Maryland por Trump, ele pode ter um viés.

Muitos dos ataques republicanos a Biden foram mordazes. O senador da Flórida, Marco Rubio, sugeriu no Twitter, por exemplo, que ele sofria de demência.

O senador republicano da Carolina do Norte, Thom Tillis, foi mais gentil, mas seus comentários sobre a idade de Biden também foram pesados. “Eu não sou do tipo que leva para o lado pessoal. Mas quando é tão profundo, que você pede a um promotor que tome nota disso, acho que é algo para se prestar atenção”, disse Tillis. “Não estou tentando dar um tiro barato. Digamos que fosse o CEO de uma empresa. O que o conselho de administração deles estaria pedindo esta noite?

A realidade de uma eleição sem precedentes

Os democratas agiram rapidamente para descartar as preocupações sobre Biden.

“Em minhas interações com o presidente, que tenho regularmente, não experimentei nada parecido”, disse o senador do Arizona, Mark Kelly.

“Quando voltei da Ucrânia pela última vez, passei muito tempo com ele ao telefone, conversando sobre a Ucrânia e os detalhes, e ele foi perspicaz.”

O presidente dos EUA, Joe Biden / Chip Somodevilla/Getty Images

Mas o fato dos democratas terem de resolver esta questão aponta para o grande problema político de Biden.

E toda a situação está repleta de ironia.

Biden agiu agressivamente na quinta-feira para tentar impedir um relatório que retirou dele a ameaça de processo criminal, mas que já parece tê-lo prejudicado politicamente por causa de questões sobre sua idade.

Entretanto, Trump enfrenta quatro julgamentos criminais que, paradoxalmente, parecem tê-lo beneficiado politicamente – pelo menos com a sua base profundamente leal, que acreditou nas suas alegações de que ele é vítima de perseguição política.

Isso pode não parecer justo. Mas para Biden, isso resulta de ser um presidente em exercício na casa dos 80 anos que enfrenta questões genuínas do público sobre a sua capacidade de servir.

Isto também reflete a realidade por vezes distorcida da política na era de Trump e uma eleição sem precedentes entre dois prováveis ​​opositores idosos em novembro, cada um dos quais cumpriu um mandato na Sala Oval e desafiou os esforços de uma geração mais jovem para os suceder.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

inglês

versão original

você pode gostar

SAIBA QUEM SOMOS

Estamos em construção…

categorias noticias

noticias recentes

as mais lidas

JM – Jornal de Minas© Todos direitos reservados.